segunda-feira, 27 de abril de 2009

O real e o sobrenatural

É, amigos. O post de hoje vai ser um pouco diferente. Menos objetivo, mais reflexivo. Dividirei o post em duas partes e tenho certeza que todos concordarão.

Primeiro, vamos ao real: o confronto entre Botafogo e Flamengo é, a cada ano, mais equilibrado. A rivalidade cresceu muito nos últimos tempos, não àtoa sendo o o duelo final do Carioca por três anos seguidos. O Flamengo tem um conjunto melhor, de jogadores que jogam juntos há algum tempo, e que estão acostumados a decidir. Isso conta a favor. O que conflita com a juventude e a vontade de vencer do Botafogo, um time recém formado, mas com muita vontade de aparecer para o mundo do futebol. O Flamengo tem uma defesa melhor e força pelas laterais. O Botafogo tem no seu trio ofensivo um grande poder de fogo. O Flamengo tem um excelente meio de campo, coisa que o Botafogo ainda carece. O que é 'compensado' pelo fraco ataque do rival. Nada do que disse até agora é novidade, imagino eu. O fator arbitragem, outro assunto bem polêmico, não pode deixar de ser comentado. Não acho que o juiz tenha prejudicado - ou roubado, como quiserem - dessa vez, como foi em 2007. Mas é notória a diferença de marcações entre os dois times. Nunca vi o juiz marcar um penalti duvidoso como aquele com tanta convicção. Só vendo muitas vezes o VT, na televisão, podemos concluir que pode ter sido penalti. Assim como foi o lance em cima do Léo Silva, muito mais claro, e o mesmo árbitro não deu. Mas enfim, o resultado não foi justo, mas não pela atuação da arbitragem. Agora entra a segunda parte do post;

O sobrenatural. Algo de estranho acontece quando o assunto é o Flamengo. Como pode um jogador fazer dois gols contra o próprio patrimônio? Como pode os dois melhores jogadores do Botafogo se lesionarem na mesma jogada? Como pode o Flamengo sempre empatar no fim das partidas, sempre com um gol estranho - pra não dizer bizarro -, batendo em alguém e entrando? Isso passa longe de ser normal. Desconfio a cada ano que o Flamengo tem pacto com o capeta. Por muitos anos, rezo antes e durante todas as partidas. Sinto-me um tolo. Se Deus realmente existe, definitivamente, ele odeia o Botafogo. A cada ano em que vejo isso tudo acontecer, desanimo de acompanhar o futebol. O Botafogo merece tanto azar? Entra ano, sai ano, e os problemas sempre nos impedem de chegar ao topo. E o pior, é um problema diferente a cada ano. Seja juiz, seja azar, seja dopping, seja lesão. Sei que essas coisas são passíveis de acontecer a todos os clubes, mas com o Botafogo é uma coisa anormal. Enfim, aquela frase que eu detesto, mas é uma verdade inconveniente: "Existem coisas que só acontecem com o Botafogo".

Sei que, diante de tantos problemas, parece fútil eu reclamar de Deus, mesmo que indiretamente. Mas nunca pedi nada demais. Acho que as coisas não caem do céu, nós é que devemos correr atrás. Pra entenderem, ontem, antes do jogo, eu rezei e pedi duas coisas. Que fosse justo, e que ninguém importante se machucasse. O resultado, vocês viram. Acho melhor eu parar de pedir.

Agora, um recadinho à torcida alvinegra:

Não sei se todos conhecem a nossa história como deveriam, mas só vou citar um fato: mesmo quando ficamos 21 anos sem título algum, nossa torcida sempre compareceu, e nunca deixou o time na mão. Sempre colorimos o estádio em preto e branco, fazendo uma das festas mais bonitas do Brasil e talvez do mundo. Portanto, espero que não façam com que percamos o respeito que demoramos tanto tempo para conquistar. Compareçam domingo, e vamos ser o combustível para essa conquista. Conosco já vai ser difícil, imagina se deixarmos o clube na mão? Então, COMPAREÇAM!

SAUDAÇÕES ALVINEGRAS RUMO AO TÍTULO CARIOCA!


Um comentário:

  1. Bruno furiosamente alvinegro27 de abril de 2009 20:09

    nossa hora há de chegar

    ResponderExcluir